quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

I feel so alone

Eu sou muito reservada. Mas nem sempre foi assim.
Eu era uma criança tímida com os estranhos, mas um capeta com a minha família. Aprendi a ler cedo, escrever cedo, costumava ser mais esperta e estar acima da média nos estudos. Prêmio de Melhor Aluna da sala na primeira série, Miss Primavera na segunda, Melhor Poesia na terceira, Melhor Desenho na quarta, assistente do professor, melhor trabalho de Artes e Campeã do Campeonato de Taboada na quinta. Nerd tapada na sexta, só tinha uma amiga. Juro, não falava com mais ninguém. Tinha medo das outras crianças. Pegavam meu dever pra copiar, eu não sabia dizer não. Ameaçavam me bater se eu não emprestasse, escondiam as minhas coisas, roubavam meu lanche. Eu chorava.
Bando de imbecis!
Na sétima série eu fiquei mais rebelde. Mudei de sala, fiz alguns amigos. Fui me tornando esnobe, muito esnobe em relação aos meus ex-colegas de sala. Tinha nojo deles. Eles já não eram mais uma ameaça para mim. Minha mãe começou a ouvir algumas reclamações pela primeira vez na vida nas Reuniões de Pais, graças ao meu comportamento. Segundo os professores, eu falava demais e era arrogante quando me chamavam a atenção. Argumentava que já havia terminado o meu dever, meu boletim era brilhante. Não havia uma única reclamação sobre as minhas notas, era impossível. Eu me irritava com quem demorava pra entender, demonstrava nitidamente minha imapaciência e por vezes murmurava: "burrros".
Fui monitora de sala pra ajudar os mais lentos. Desisti. Na oitava série, a história continuava. Meu grupo fez a melhor apresentação de teatro de todas as oitavas séries. Eu continuava com o mesmo perfil hostil e prepotente. Cheguei assim ao primeiro ano.
Mas nessa época eu era popular. Me achava o máximo por isso.
E foi aí que os problemas com a alimentação se intesificaram. Com 14 anos entrei para um curso de para-militares da minha cidade. Eu odiava com todas as minhas forças aquilo. Sempre passava mal nas aulas de Ordem Unida porque estava sem comer. Meu pelotão era na época o maior e com mais prestígio na entidade. Comecei a fazer um estágio no Fórum da cidade, como para-militar. Meus companheiros costumavam dizer que eu só sujava o prato pra dizer que comi. Comecei a estudar à noite. Chegava do estágio e não jantava para ir à escola, dizia que já havia comido pipoca doce. Eu guardava aquela caixinha de pipoca na minha bolsa, - todos os dias era a mesma caixinha que eu mostrava para a minha mãe - e dizia que tinha comprado pipoca de novo. Mentira.
Mentira, mentira, mentira.
Fui ficando boa nisso. Ainda sou. Isolamento - só uma consequência.
Tenho a impressão de que carrego ainda essa personalidade, digamos que, insolente. Eu era muito doce. Por vezes ainda noto alguma ternura. Mas existe também uma personalidade difícil, uma menina temperamental, dramática, exigente, fútil. Idiota.
Criei uma barreira ao meu redor pra proteger as minhas mentiras.
E agora por mais que eu tente e esteja "bem" e esteja voltando para a minha vida social e todas essas coisas, por mais que eu esteja tentando, parece que há um vidro, um traço muito fino, muito tênue que me separa do restante do mundo.
Não adianta, eu já estou do outro lado do espelho.
Eu queria alguém que me entendesse mesmo, a fundo. Quem eu sou de verdade e não quem eu sou quando estou sorrindo. "O sorriso que eu trago nem sempre é a vida que eu levo." Eu encontrei muito disso em vocês e preciso agradecer. Mas quando eu desligo o computador e me vejo frente a frente com tudo e com todos, dá um nó na garganta e uma vontade de voltar correndo para o meu quarto.
Eu me sinto confusa, acho que tudo isso não é tão certo e eu faço tudo errado.
Eu me sinto tão sozinha.




Sometimes when I say: "Oh, I'm fine", I want someone to look me in the eyes and say: "Tell the truth".




Obs: Meus pais não falaram comigo ainda, parece que não aconteceu nada, parece que ninguém sabe de nada. Não entendo por que eles agem assim. Mas é melhor assim, melhor pra mim.

-

10 comentários:

..:: Ana Paula ::.. disse...

Oi anjo! Nossa, que post mais verdadeiro, mais sincero (como sempre). Não sei dizer, senti uma pontada ao ler sabe, pq algumas coisas eu não sabia sobre vc. Comigo era +/- a mesma coisa, exceto pq eu nunca fui um capeta (sempre fui bobona) e nunca tive vida social. Até hj não tenho.
Tem sido tudo tão difícil, desde o começo né? A gente sempre lutou contra algo, parece que sempre havia algo pra empurrar - eu nem sei explicar. Mas eu entendo perfeitamente isso... às vezes tento voltar no tempo pra descobrir quando foi que tudo começou a ficar preto e branco, mas eu não sei identificar. Parece que todos os caminhos levaram a esses problemas de alimentação. Eu tenho medo do que possa acontecer com a gente... pq o tempo passa assustadoramente rápido e daqui 5 anos terei 30, tenho medo de ser a mesma idiota gorda de sempre, com os mesmos problemas com comida.

Mas vc não, vc é uma menina brilhante, esperta, inteligente, vc tem astúcia...

queria tanto poder falar com vc agora, as coisas aqui em casa estão mt difíceis.

nos encontramos no msn quando der. Preciso conversaaaaaaar com vc! Li o outro post, aimeudeus. Vamos ver o que vai acontecer - embora vamos ser realistas, eles sabem há tempos amiga, só não tem provas, mas de algum jeito eles sabem...

beijos, te amo demais, mt mesmo!

Anna disse...

bom,não sei se muda mta coisa,mas eu me considero mto assim.
Já ouvi várias vezes que sou um pouco arrogante,esnobe, prepotente até, e tenho mtas barreiras, pra pouca gente eu me abro,mto pouca mesmo.
Eu não era assim,não lembro tão bem,mas eu era meiga,fofa até demais e tinha serios problemas em dizer não..mas com o tempo tive q mudar e esconder mentiras,do mesmo jeito q vc as vezes, e talvez isso tenha nos obrigado a ficar constantemente na defensiva..

sobre a conversa com os pais, eu tive a minha,não foi uma experiencia nem de longe agradavel,espero q vc se livre disso..mas o não falar nada tbm me encomoda mto [ atualmente]..nao sei o q é melhor.
beijos,boa sorte
forças :)

Mandy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anna Thin . ♥ disse...

Amiga!

Sinceramente não sei o que dizer para você, já que disse tudo.

Sabe, as vezes me pergunto se certas atitudes e palavras que digo, não são como uma espécie de proteção que eu faço para as pessoas.

E te digo mais, me sinto uma falsa todo os dias, por estar sempre sorrindo e tentando agradar os outros, dizendo o que os outros querem ouvir. Se soubesse como sou quando estou dentro do meu quarto, debaixo do chuveiro, ou mesmo devanando em meus pensamentos fúteis.. nunca diriam que essa é a Fernanda de sempre.. nunca..

Quanto aos seus pais, no seu lugar ficaria receosa.. os meus tbm nunca tocam em nada desse assunto, mais sabe quando vc percebe no olhar deles que parece que eles SABEM? eu ficari cismada.. sempre acho que estão tramando algo..

Forças!
Te adoro

Atras da verdadeira identidade anaemia disse...

Sabe, eu me lembro de alguns episódios de tristezas e alegrias e apenas o ke fica é o qt eu tento me adequar p ser feliz..pairando a normalidade p me sentir igual e as vezes taoo diferente q faz com ke eu queira me isolar...sentir-se só é apenas reflexo de nossos momentos de confusão em q nos afastamos ate de kem realmente gosta da gente, doas amigos etc. Espero q vc ache as melhores pessoas, com as melhores palavras , gestos e alegrias. Solidão faz bem, mas em excesso só nos faz mal. As vezes nao é escolha nossa estar só e sim consequencias de nossa grande confusão..e lembre-se q só vc não está pq estaremos sempre aqui p vc...bjs no S2

Anônimo disse...

se essa menina na foto é mesmo voce, voce deveria sentir vergonha de ficar tao triste e reclamando tanto.

se olha no espelho, acorda!!!

Anne Darkness disse...

Lembro de qndo meus pais descobriram dos TA's.
Foi a msm coisa. Ninguem falava nada, ninguem fazia nada além de botar um prato de comida em minha frente e dizer: "Não saio daqui enquanto não comer TUDO"
Mas passa. É só fingir q melhorou, forçar um sorriso... e eles esquecem de tudo.

Ah, e eu te entendo perfeitamente, cada linha dos seus posts.
Ok, isso não é nada. Mas não se sinta sozinha, porque vc está muuuito longe mesmo de estar sozinha (:

Outra coisa... tem um anonimo idiota aqui em cima com inveja da tua beleza :p viu só? AHUSHAUHSUAHUSHUHAUSHUAHU

fica bem, ok?
:*

Mianazinha disse...

Olá Barbie!!!!
Nossa que situação a sua em!!!!!
Força ai com os seu pais!!!!
Tenta não ficar tão triste para a compulsão não aparecer!!!

Barbie eu preciso muito de favorzinho seu!!!! Por favor me ajude!!!!
A tempos eu tinha um blog, e a minha primeira amiga foi a Lovely, bom tudo acabou, o meu blog acabou e ela tinha sido enternada, eu sempre entrei no blog dela para ver se ela mandava noticias, e o blog sempre abandonado!!!!
E agora o blog dela está bloquiado, está aberto apenas para convidados, e eu vi que você tem ela na sua lista de amigos!!!!

Barbie me ajuda, eu gosto muito dessa menina, confima para mim se ela voltou, pega o e-mail dela para eu entrar em contato!!!!
São tantas meninas não sei se ela vai lembrr de mim, mas fala que é a Mianazinha!!!!!

Obrigada!!!

Muita força com os seu pais!!!

Olha o meu e-mail é mianazinha.emagrecendo@gmail.com

Me manda um e-mail me dando uma resposta.

bjs

Barb disse...

sei como é... sempre que consigo me abrir com alguém, dps acabo fazendo uma barreira, não sei pq... me fecho como uma concha, sem ao menos perceber, isso sempre acontece comigo... já tentei mudar, mas acho que é meu jeito de ser, sei lá!
espero q esteja bem amiga!
se cuide (L)
xo

Miana LifeStyle disse...

Amor, sou nova aqui, e vou te seguir ok? (:
Eu tbm me identifico com você na escola e tals,.. eu fiquei bem mais rebede, mas tudo isso passou!
Beijos e força (yn)