terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Goodbye 2009

Essa é a época do ano que eu mais gosto! E, ao invés de ficar me lamentando e reclamando por não ter conseguido o que eu queria, ao invés de me afogar na tristeza da decepção pelas coisas que não deram certo e tudo isso, eu prefiro agradecer.
E eu nem poderia reclamar, o que mais eu poderia esperar desse ano? Eu concluí uma faculdade, passei em um vestibular concorrido, estou estudando numa faculdade pública e fazendo o curso que eu quero, emagreci quase 20kg (e eu sei que mesmo que fosse 50kg a menos ainda não seria suficiente :/ ), me curei de uma dor antiga e encontrei... o amor!
Que piegas! Haha.
O ano foi bom pra mim, foi muito bom. Apesar de tudo. Apesar de tudo o que eu fiz pra estragá-lo, apesar dos mesmos erros que eu tornei a repetir, apesar da minha auto-sabotagem, o meu comodismo perante a tristeza, a desculpa da eterna insatisfação, tudo isso.
Eu sempre serei insatisfeita, eu sempre vou exigir muito de mim, eu sempre vou esperar demais das pessoas e me ferrar por causa disso, eu sempre vou achar tudo insuficiente, sempre, sempre, sempre! Ou pelo menos é essa a sensação que eu tenho.
Mas eu não quero mais me negar a alegria e o entusiasmo com a vida. Eu tenho 20 anos e só tenho me escondido ou fingido desde que eu me lembre. Já chega!
Talvez a mudança não venha num boom ou numa onda gigantesca. Talvez não. Com certeza. Eu vou lutar por isso, conquistar isso devagar. A droga da temperança. Eu quero isso e se eu quero, eu vou conseguir.
Eu vou teimar até que eu consiga. Eu vou bater o pé, vou insistir.
Eu aprendi muitas coisas esse ano.
E eu só queria dizer isso pra vocês: Não queiram emagrecer a todo custo. Como eu fiz e como eu ainda faço. É difícil, mas eu tento colocar na minha cabeça que a magreza não vale um câncer ou um infarto. Uma ruptura gástrica. A morte ou sérios danos que você carregará por toda vida.
Sim, eu ainda mio todos os dias, eu ainda tomo laxantes, faço LFs e NFs e tudo isso. Nada mudou. E isso não vai mudar, eu vou continuar, mas eu ajo de forma extrema. Quero ponderar porque eu temo. Eu simplesmente percebi que pagar os quilos a menos com a nossa saúde não vale a pena. E existem outras formas, outros caminhos. É burrice pensar no "custe o que custar". Se custar a sua vida, você morre como uma fracassada. Porque se você for como eu, você sempre vai ter outra meta, e outra, e outra. E você vai morrer antes de atingí-la.
Eu penso nisso. É isso que me faz querer ser mais "inteligente" em relação a esse inferno de todos os dias. Tentem pensar nisso também. Eu ainda não sei o que vai acontecer, se vale a pena ou não. É novo pra mim. Mas eu quero equilibrar tudo isso, ser melhor e estar bem e viver. Já existo há duas décadas.

Feliz ano novo, tudo de melhor.

FORÇA SEMPRE!


"Tudo isso parece tão egoísta. Se sair por estes corredores, encontrará pessoas lutando por mais um dia de vida. Mais uma hora, mais um minuto."

- OTH.



-

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Audrey H.

Dia 15 de dezembro eu conheci a Audrey H.
Eu posso dizer que foi uma das melhores coisas que me aconteceram esse ano! Ela veio aqui pra São Paulo, nós nos encontramos na Estação da Luz e passeamos pelo Shopping Paulista e pela Avenida Paulista. Conversamos. Eu nunca imaginei que seria capaz de falar sobre tudo isso com alguém. Mas eu talvez tenha conseguido simplesmente porque era ela. Ela é uma pessoa especial, de verdade. E LINDA, muito muito muito linda! E eu fico imensamente feliz por poder contar com um anjo de verdade na minha vida.
Eu sempre vou me lembrar. Eu vou sentir a sua falta aqui, amiga. Você é encantadora e, se antes eu te admirava, essa admiração já não é nada perto do quanto eu te admiro hoje.
Eu te amo.
Obrigada!



Essa semana está sendo muito difícil. Ontem me bateu um desespero, eu não estou conseguindo controlar as compulsões nenhum dia. Tudo fica difícil.
Eu sinto que engordei, já havia engordado, mas não tenho coragem de subir na balança.
Tenho tido pesadelos durante à noite, miado várias vezes durante o dia, durante a madrugada...
Depois do meu último post, o post passado, os meus pais conversaram comigo, perguntaram o que estava acontecendo comigo. Disseram que estavam dispostos a me ajudar, estavam dispostos a me levar em psicólogos, nutricionistas, o que quer que fosse necessário.
Eu disse que estava bem, que não tinha nada. Disse que eles não tinham com que se preocupar, que eu estava forte. Eles disseram que eu estava muito magra, que todo mundo estava comentando e perguntando pra eles se eu estava doente.
Eu disse que essas pessoas não tinham o que fazer, que deveriam cuidar da própria vida. Disse que emagreci, mas que não emagreceria mais, que estava bem assim (mentira) e que portanto, também não engordaria mais que isso.
Minha mãe disse que só quer que eu seja feliz, que teme pelo que possa acontecer, me pediu pra não desperdiçar minha saúde, beleza e inteligência a troco de nada. Mais uma vez eu disse que estava bem.
E as coisas ficam assim subentendidas.
Minha mãe está me agradando, me dando coisas. Disse que fazia parte do nosso trato: para que eu fizesse as coisas certas.
Deu pra vcs entenderem?
Enfim.
Está tudo errado quanto a isso, existe um inferno explodindo em fúria dentro de mim. A compulsão é voraz, eu não estou vencendo comer, sempre preciso de mais e mais.
Isso atrapalha tudo, eu juro que estou tentando ficar bem. Ser normal, mais feliz.
Nunca imaginei que fosse tão difícil. Parece que o meu corpo dobrou de tamanho essa manhã. Que droga!

Cuidem-se.




Audrey H., eu te amo ♥


-

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

CARPE DIEM :)

No meu último post eu disse que havia acontecido algo especial, lembram?
Hoje faz exatamente duas semanas. E eu nunca mais havia me sentido tão VIVA quanto eu estou me sentindo agora.
Eu estou namorando. E eu quero ser feliz pra ele, e bonita pra ele... E menos nojenta, problemática e errada pra ele.
Porque por mim, eu não dou a mínima. E quero deixar de ser assim também.
Comentei com o meu melhor amigo: eu saí sem ele com um pessoal da faculdade. Umas três vezes! Disse pra ele que é um grande progresso, nós rimos, mas é verdade. Eu nunca me afastava do meu melhor amigo, sempre tinha que ter alguém conhecido, algo seguro, meu refúgio.
Eu ainda me sinto meio insegura e perdida, dá um friozinho na barriga, sim. Mas eu preciso fazer isso. Então eu faço. Saí, conversei e ri. Foi bom, está sendo bom.
Ficar bem é a escolha mais difícil.
Se entregar à tristeza e reclamar e jejuar e vomitar é bem mais fácil. É o que eu sei, o que eu conheço.
Sair e comer um lanche natural com Coca Zero pensando: "porra, sua vaca gorda! Ta todo mundo olhando" é bem mais difícil. Manter aquela coisa dentro de você, mesmo sendo a única coisa que você comeu durante o dia todo é bem mais difícil. Às vezes eu mantenho, às vezes não.
As coisas estão difíceis. E eu nem sempre consigo ser muito educada. Um menino na faculdade comentou na frente de todo mundo que eu não devo almoçar, eu ri. Como se não fosse suficiente, ele disse: "E quando come, ainda quer..." e fez um gesto de ânsia, colocando o dedo na boca. Não ri.
Chamei ele pra conversar, perguntei por que ele disse aquilo. Ele disse que tinha ouvido falar, comentários. A mãe de uma amiga minha disse pra mim quando eu viajei com ela: "Agora você não vai ao banheiro até a hora de ir embora". Fiz cara de espanto e fingi que não entendi. Eu tinha acabado de almoçar, frango e salada. Inferno!
Uma amiga da minha mãe já avisou que vai pegar no meu pé. Disse que eu preciso engordar e que eu sou a única das meninas que não tem bunda. Eu disse que gosto de ser assim.
Enfim, é tanta coisa que isso nem é nada. Minha prima disse que precisa conversar comigo, vamos ver. Disse que é coisa que a família está comentando e pediram pra que ela converse comigo, já que nós somos melhores amigas...
Eu dei uma engordadinha, voltei aos 47 e poucos. Estava com 45 e poucos. Não fiquei triste porque estou numa fase boa. Estou feliz, sei que posso emagrecer de novo. Mas engordar esses 2kg não ajudou muito.
Pensei que as coisas melhorariam... Só minha mãe parou de falar. Vamos ver até quando.
Com o meu namorado eu não vou ter tanto problema, ele prefere meninas magrelas :)
Ele é tão perfeito!
Eu estou feliz e estou bem como há muito tempo não estava, precisava dizer isso pra vocês. Não se preocupem, eu nem lembrava quando foi a última vez que eu me senti assim, então... Melhor aproveitar.
De que adianta secar se vamos continuar tristes e absolutamente infelizes?
Vou emagrecer, mas decidi ficar bem. Espero que vocês façam o mesmo.

CARPE DIEM!

Força! ♥




"Eu chorava, no começo eu chorava e não entendia, apenas não entendia, e não entender dói, e a dor fazia com que eu chorasse, no começo."

-

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

É só o vento lá fora

Me desculpem por estar ausente há tanto tempo nos blogs de vocês. Sinto que devo isso a vocês, porque eu sei que vocês se importam.
E eu não quero preocupar vocês, nem ninguém. Nunca quis. Mas eu sinto que tudo é externo. Como eu posso explicar? Eu estou dentro do meu corpo e eu preciso me sentir segura aqui pra viver bem aqui dentro; dentro desse corpo. Não estou tentando me destruir, e eu tenho que falar pra vocês que eu estou me cuidando... Pelo menos faço o possível pra isso. Perdi uma consulta no cardiologista ontem, tinha um exame importante, mas acabei me esquecendo. Esqueço de tudo. Mas eu vou remarcar, promessa.
Sabem, está difícil-pra-caramba viver aqui na minha casa. Vieram conversar comigo hoje, minha madrinha, minha mãe. Meu pai passou pela gente, reclamou dos meus braços magros, dos meus dedos, das minhas mãos e foi embora rebatendo as minhas defesas. Minha mãe falou do meu rosto, falaram da minha bunda, da minha expressão. Questionaram os "métodos" que eu uso pra emagrecer. Tentaram me convencer a procurar um psicólogo. Nos atacamos um pouco, minhas primas estavam junto, ouvindo tudo... Quis chorar, mas me segurei. A minha mãe também.
O clima aqui está pesado. Não fico bem em casa, gostaria de estar em qualquer outro lugar. Como a minha mãe mencionou, meu pai e eu parecemos estranhos dentro de casa. Se trocamos duas palavras, batemos de frente e fica tudo uma merda. Minha mãe está estranha, tensa, dura. Não dá mais pra conversar com ela também. Minha madrinha estava intermediando toda a conversa, tentou ajudar, amenizar. Eu soube que a minha mãe dorme mal e acorda no meio da noite tentando entender o que está acontecendo comigo.
Me senti um lixo por isso.
Mas, como eu disse no começo do post, é externo. E eu me fecho dentro de mim e espero passar. "É só o vento lá fora". Vai ficar tudo bem.
Me recolho para o meu silêncio, a paz que eu conheço. Como o mínimo possível. Mio quando preciso.
Uma coisa certa. Meu controle. Está tudo bem.




P.S.: Aconteceu algo bom. Algo que me deixa feliz, um motivo pelo qual eu estava contente. Eu queria falar sobre isso, mas depois de hoje...



Não é só meu orgulho
É só até essas lágrimas secarem



-

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Perdão,

e que um dia minha vida tome um rumo, perdão Pai, mas é preciso.

:/

Aniversário da minha mãe.
Ela menciona a minha aparência segundo ela doentia. Não acho justo; justamente nessa noite eu dormi menos de três horas. Ela também menciona a minha insônia, irritabilidade, instrospecção, falta de concentração, magreza. Falsa magreza, diga-se de passagem. Eu digo que ela implica demais comigo.
Minha mãe falou também sobre não aguentar mais as pessoas comentando e perguntando pra ela o que há de errado comigo. Ela diz que eu estou feia e eu digo que não estou e que ela não poderia me achar feia porque é minha mãe.
Ela diz que é pra eu marcar uma consulta amanhã de manhã pra tratar de uma vez do que "está acontecendo". Eu digo que não vou ao médico. Minha prima, que presencia todo o agradável diálogo diz pra minha mãe que eu estou doente e que eu preciso ir ao médico.
Minha mãe diz que vai comigo. Eu digo que não vou.

Acreditem em mim: eu estou sofrendo. Sofrendo por causar essa preocupação, que na minha opinião é desnecessária. Tem gente que está mesmo muito "abaixo do peso", mas eu não estou magra, eu juro.
E eu queria pelo menos não me odiar tanto, não me achar tão imensa, não me sentir assim o tempo todo.
Disseram que eu estou estranha, minha mãe disse que meu pai também achou e que ele quer falar comigo. Vai ser engraçado, porque ele nem fala comigo sobre a faculdade, o que dirá sobre isso!
Decidi que toda minha força vai ser dedicada a emagrecer mais daqui pra frente. E também em ser mais alegre, eu vou me esforçar muito pra isso. Ser mais atenciosa com as pessoas, mais calma, mais simpática. Vou tentar, eu juro. Sei que não sou nada disso, mas eu quero ser.

Hoje eu passei o dia mal porque comi muito mal e miei tudo o que comi. Mal parava sentada, cochilei alguns minutos quando fugi pro meu quarto por volta das 7 da noite e depois me senti um pouco melhor. Agora eu vou tentar dormir pra evitar as compulsões noturnas, que são as piores. Nos últimos episódios, eu acabei com tudo que tinha no armário e na geladeira. Pacotes de bolacha, latas de patê e leite condensado, pães de forma, doces, mousse, sorvete, refrigerante... Óbvio que a minha mãe percebeu. E eu só engordei 300g. E é óbvio que isso ela não percebeu.

Mas essas gramas a mais me encheram de ódio. Vou me restringir ao máximo. Quero chegar logo aos 45kg.

Meninas, cuidem-se. Sejam fortes e aproveitem a vida. Vivam!

Beijos.



LA VIE EST BELLE.



-

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

I promise that I will be more perfect

Estou pesando 47kg.
Agora eu estou avançando em direção aos 45.
Não está sendo fácil, as coisas não têm saído exatamente como eu planejei, por vezes tenho tropeçado. Mas a Mia tem estado comigo, todas essas vezes.
Eu sinto que fiz a minha obrigação, e é isso. Não posso perder o foco, preciso melhorar a minha disciplina.
Meu humor é absurdamente instável. Tem dias que eu estou alegre, agitada. Tem dias que eu estou melancólica, triste. Tem dias que eu estou meiga, tranquila. Tem dias que eu estou ardendo em ódio. Mas tudo bem, eu sinto que, apesar de alguma coisa ou outra, eu estou no controle.
Esta semana está sendo puxada, passo o dia todo na faculdade. Durante a tarde para as aulas, durante a noite para a Semana de Tecnologia. Eu faço parte da Equipe de Apoio, que inicialmente contava apenas com 12 alunos (bem menos agora que alguns desistiram) então não posso nem pensar em faltar. Então tem o momento do nosso lanche, que consiste em uma diversidade imensa de doces, salgados e refrigerantes. É quando a minha compulsão ataca e eu como o máximo que eu posso sem parecer mal educada. Muito difícil. E depois eu vou ao banheiro vomitar.
Anyway.
Tenho ouvido muito tipo de coisa. Por exemplo:
- Você está passando fome na sua casa? Quer ir almoçar em casa um dia desses?
- A Barbie está só o osso! Nossa, tô até com dó de você.
- Você tem que parar com essa história de emagrecer, isso pode virar anorexia, sabia? Já ta quase.
...Quase.
Ou não. Sei lá. Não importa, só quero estar magra de fato. E me sentir assim. E me sentir pura e perfeita. E limpa e leve. E em paz.
Essa semana também, depois da aula, nós saímos da faculdade e fomos a uma lanchonete. Os meninos da minha sala comendo açaí, bebendo cerveja, outros comendo lanche natural, tomando refrigerante. E eu comendo um saquinho de mostarda. A conversa deles me intrigou.
- Nossa, açaí é muito calórico. Vou ficar gordo, tomando cerveja ainda!
- Queria pedir outro lanche e tal, mas eu acho que vou ficar na bad depois.
- Ah, vai mesmo. Vambora.
No caminho de volta, eles começaram a brincar, falando que estavam muito cheios, que iam vomitar.
- Vamo colocar o dedo na garganta? - um deles disse.
- Vamo. Eu já fiz isso uma vez com o meu amigo.
Eu já sabia que um deles vomitava depois de comer quando era mais novo. É, bulimia. Nunca tratada. A pessoa fica assim depois? A única coisa que eu disse foi:
- Ai, que nojo! Como vocês são nojentos, credo! Parem com isso!
Será que TODO MUNDO é assim, no fundo, pelo menos? Não todo mundo, mas acho que quase todo mundo. Meu Deus, eles são homens! Eu disse que eram os homens mais estranhos que eu já vi. Se fossem gays, eu acho que até seria mais compreensível, sei lá! Mas eu queria contar pra vocês.
Bom, meninas. Espero que vocês estejam bem. Vou visitá-las e tentar comentar.
Pré-estréia de Lua Nova hoje. Vai salvar meu dia, espero! :)
Já vi que o meu fim de semana vai ser uma droga e eu vou sobrar em casa sozinha, mais uma vez. Mas eu tenho bastante trabalho, vou tentar me ocupar com isso.
Mas não deixa de ser chato. E triste.
Beijos :*





-

sábado, 14 de novembro de 2009

"I took the one less traveled by...

...And that has made all the difference. All the difference." (Robert Frost)


Não sei o que acontece, não entendo. Por vezes (muitas vezes), sussurro: "inferno!" e engulo o choro. Digo a mim mesma que não agüento mais. Tudo o que eu como eu já acho que vai me engordar. Sabe, os dois últimos dias foram compulsivos, eu já acordei e fui direto comer. Vomitei o café da manhã nesses dois dias. Dormi exausta após miar de madrugada. Me deu um desespero e eu nem quis me pesar.
Hoje, porém, um menino da minha sala comentou: "você está emagrecendo cada vez mais". Eu respondi: "na verdade, eu engordei". E todo mundo disse: "onde?"

¬¬'

Fui ao shopping com a minha mãe. Sou do Grupo de Apoio da Semana de Tecnologia na minha faculdade, precisei comprar a roupa que eles exigiram que usássemos. Peguei dois números de calça social (os dois menores que havia - 36 e 38). Olhei triste para a 36 e pensei: "essa porra não vai passar nas minhas pernas". Entrei no provador nervosa, peguei logo a 36 pra acabar com aquela angústia, a dúvida se iria servir ou não. Prendi a respiração, coloquei a calça.
Ficou larga!
Em tudo, inclusive nas pernas e eu não acreditei. Saí do provador, mostrei para minha mãe. Ela disse: "não dá pra você levar uma calça dessas, tá horrível!". Provei outros modelos, mesma coisa. Não comprei.
Comprei só a blusa e um lenço. Tomamos um Top Sundae no Mc Donald's e eu vomitei no banheiro do shopping logo em seguida.
No caminho de volta ela me disse que eu estou muito magra e feia. Que antes estava mais bonita. Disse que gente gorda e até fortinha é feio, mas magra demais também. E que eu já estava magra demais.
No aniversário do meu melhor amigo também disseram isso. A mãe dele perguntou: "mas você não vomita, né?". Eu nem sabia onde enfiar a cara!

Eu não sei, essas coisas me confundem. Talvez eu me pese amanhã, talvez não. Depende da minha coragem.
Estou me sentindo mal e feia. Gorda. Belisco meu braço, minha barriga. Xingo minhas coxas. Tô cansada, não sei. Minha mãe tá preocupada, não quero que ela se sinta assim.
É tanta coisa! Como eu vim parar aqui? Mas que droga! Espero que isso passe logo.
Bem ou mal, eu me peso na terça. Vou fazer um LF forte amanhã e segunda. Preciso dar um jeito.

FORÇA, meninas. Desculpa a demora, eu ando meio assim... Sei lá.





-

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

"Coluna ereta, mente quieta,

... coração tranqüilo"

Mantive os 48,5kg e isso não é algo que eu gostaria de vir aqui postar. Adoraria dizer que estou ao menos com 47, mas eu acho que vai ficar pra semana que vem.
Eu tenho um probleminha agora: minha mãe quis sair do trabalho. Vai ficar em casa, cuidar de casa e tal. Achei muito ruim, insisti pra ela não fazer isso, mas não adiantou. Por um lado, eu fico menos sozinha. Grande coisa! Ela está aqui na hora do almoço!, já não bastava o jantar?
Desde a última semana, eu tenho almoçado alguma coisa, então. Às vezes inventei alguma história e saí mais cedo, pulei o almoço, ponto pra mim. Mas geralmente tenho comido a salada e um pedacinho da mistura. Teve dias que eu miei. Na hora do jantar é a mesma coisa.
E eu fico irritada, sempre. Por estar comendo. Fico muito irritada, reclamo, falo que não gostei de tal coisa, que queria outra... E por fim, acabo dizendo: "Então não quero!". E me livro.
Me bate um remorço, sim. Me sinto triste, sim.
Mas eu não posso engordar. Não quando eu ainda preciso emagrecer mais. E mais. E mais.
Tapei meus ouvidos para as reclamações a respeito do meu suposto baixo peso. Não tô ligando. Me incomoda quando dizem que eu pareço uma morta viva. Eu ainda tenho muita gordura no corpo, eu acho que soa hipócrita. Ninguém nunca viu modelo?
Eu mudei meu cabelo, tingi de castanho. Eu sempre fui loira! O contraste me fez parecer mais pálida, eu admito. Mas então eu só preciso de sol, não de comida.
Tenho um plano para as próximas semanas. Vai dar certo!
Estou mais animada, não me perguntem por que. Essa semana meu humor melhorou consideravelmente! E que o mundo desmorone, hoje eu estou sentindo a paz que a inanição me trás.
A Ana está cada vez mais viva, cada vez mais forte dentro de mim. Meus lábios se curvam levemente, esboçando um sorriso de boas vindas de volta :)





Obs: Nise, perdoe meu egoísmo, mas eu fiquei feliz em ter você de volta. Não consigo comentar no seu blog! :/
Obs 2: Estou devendo várias visitas, faz tempo. Visito depois.


Bom feriado! (Medo!)

-

sábado, 24 de outubro de 2009

Garotas grandes não choram

Todos os dias dessa semana, eu passei em algum lugar pra comer depois da faculdade. Comer compulsivamente, claro. Foram todos os dias, sem excessão. Incluiu o Habbibs, Mc Donald's, Burger King, padaria, restaurantes de shoppings, supermercados... Lembro disso com muita dor. Porque não quero mais isso. Gastei dinheiro demais, mais de R$150,00! Bem mais! E eu não trabalho, então tenho a impressão de que estou sugando os meus pais - e de fato estou! - e eles não merecem uma filha assim medíocre como eu. Perdão.
Eu comia muito, muito mesmo. Depois vomitava. Teve dias que eu voltei pra casa logo depois de vomitar, ainda fraca, completamente zonza. Outros dias eu ia pra outro lugar e comia mais e vomitava de novo... Em casa eu jantava, vomitava. Depois comia de madrugada e vomitava.
Tô acabada.
Chorei, chorei, chorei muito essa semana. Me senti um lixo praticamente todos os dias. A balança que marcou 48kg foi pra 48,5kg. E isso já foi o suficiente pra me fazer entrar em desespero! Meu corpo está cansado, dolorido... Me entupi de laxantes, tô fraca, sem ânimo.
Eu não aguento mais.
Perdi uma prova de matemática de propósito porque não sabia nada. Fui ao médico pra pegar atestado pra poder ter a chance de fazer a prova substituta no fim do ano. E agora vou torcer pra dar certo.
Sinto que eu não sirvo pra nada, que sou um peso no mundo, um fardo para os meus pais. Outro dia, tomando banho, pensei na possibilidade de conseguir morrer afogada ali no chuveiro mesmo. Logo me repreendi por tal pensamento. O suicídio. Tentador. Absurdo. Imperdoável.
Misericórdia, perdão, Deus!
Quero mudar. Me organizar, organizar essa bagunça que ta a minha vida. Me sinto burra e lerda, odeio isso. Quero ser uma boa filha e tirar notas altas, pra que os meus pais sintam orgulho de mim. Pra que eu me sinta pelo menos suficiente. Não quero mais ser essa menina imapaciente e respondona, eu quero ser adorável. Tenho planos de fazer tudo certo. Isso inclui NFs e LFs certos.
Eu me sinto maior a cada dia, por mais que a balança mostre que os números diminuem. É quase insuportável, eu ainda preciso diminuir... Minhas skinnys 38 estão largas e saem sem desabotoar. Vou começar a usar uma calça em cima da outra.
Como eu já esperava, o D. foi uma decepção enorme. Foi forte, machucou muito. E a ferida está aqui, exposta, sangrando... Mas eu não vou parar a minha vida por isso. Eu vou seguir em frente, ainda que doa.
A tristeza vai preencher o lugar da comida. And I'll be pretty.





-

sábado, 17 de outubro de 2009

"Não posso parar agora

...porque eu já fui longe demais"


Hoje o dia foi terrível e ainda está sendo. Quando deu três horas da tarde, me deu um aperto no peito só de imaginar que ainda faltava muito para o dia acabar. Eu queria ir dormir agora, mas meus pais estranhariam, já que eu estou sempre perambulando pela casa de a madrugada e, por isso, eles me encheriam de perguntas, preocupados com o que aconteceu. Sim, é bem chato.
Hoje eu comi, vomitei, comi, vomitei... Me enfiei num banheiro público porque MEU DEUS, EU PRECISAVA CHORAR! Chorei, sequei as lágrimas e continuei caminhando na chuva, fui para a faculdade. Me esforcei pra sorrir, pra parecer que estava tudo bem. Acho que consegui.
"Você está muito magra. Olha, você não tem nada de gordura!"
E eu me encolhi de vergonha, sorri sem graça. "Grande merda", pensei.
Meus amigos devem ter coisas melhores pra fazer agora... Tô me sentindo abandonada e rejeitada no mundo. Eu odeio ser tão sozinha, eu odeio! Mas chega de melodrama.
Sabe, eu acho que sou meio masoquista. Por insistir nessa história com o meu ex-namorado. Vou chamá-lo de D. aqui. Não convém chamar de "ex" porque - técnicamente - ele não é meu ex. Detesto criar expectativas, mas às vezes eu não posso evitar. Quero muito que dê certo, mas algo me diz que eu vou me ferrar nessa história. E, pensando nisso hoje, eu me decidi: caso não dê certo mesmo, essa vai ser a deixa pra eu ir mais e mais fundo com tudo isso. Me reduzir a nada. Um conjunto perfeito de ossos, que se dane tudo. Niilismo. Foda-se.
Bom domingo (caso seja possível). Beijos.





-

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Beginning

Estou com 49kg, finalmente. Acho que me sinto aliviada por ter saído da casa dos 50. Aliviada, não feliz. Muito menos satisfeita. IMC de 16,9. Agora eu sinto que esse é um começo, o meu começo, meu ponto de partida para a perfeição. Me sinto mais segura agora.
Por outro lado, começaram as implicâncias por parte da minha família. Minha mãe tocou no meu ombro ontem e disse estar surpresa, pois ela nunca havia tocado e, segundo ela, é estranho me sentir tão seca.
Isso se deve ao fato de ela me ver comendo o tempo todo. Quer dizer, o problema em si não é o meu peso e sim continuar emagrecendo mesmo comendo bastante. A desconfiança dela obviamente é em relação a Mia. Achei que seria bom comer perto deles, como antes, mas me compliquei. É porque realmente tenho comido em excesso. Qaundo como é em excesso mesmo. Assim, sem limites. E é óbvio que depois eu mio... Mas eu estou cada vez mais decidida a abolir essa prática. Primeiro porque eu estou cansada, de verdade. Segundo porque temo pela minha saúde. E esses são apenas dois motivos de uma infinidade deles... Como se não bastasse, minha mãe me prometeu uma conversa, ela cismou que quer falar comigo. Eu vou evitar ao máximo, odeio esse tipo de conversa, odeio toda conversa direta, que exija respostas diretas, principalmente quando são relacionadas a mim. Se fosse relacionado ao que eu penso seria muito mais fácil. Droga!
Ah, sabem, eu não gosto dar detalhes de vida pessoal aqui, mas agora seria impossível não falar pelo menos um pouco. Acontece que: meu ex namorado e eu estamos juntos de novo. Ele ficou chocado quando me viu porque disse que eu emagreci demais. E apesar disso, (não quero pensar nisso agora) eu estaria feliz se não estivesse com tanto medo. Era o que eu mais queria, tudo que eu sempre quis que acontecesse durante esses últimos meses... Mas eu tenho medo de ser enganada. Tenho medo de ser um objeto de vingança e apenas isso pra ele... Nossa história é um tantinho conturbada, é difícil... Mas eu nunca vivi um relacionamento intenso com ninguém. Nem com ele. Eu sempre me mantive distante, isso também o magoou. Quer dizer, é íntimo demais. E é difícil mostrar o seu verdadeiro "eu" pra alguém quando você tenta escondê-lo o tempo todo de si mesmo. Difícil, mas resolvi arriscar. Dar uma chance pra viver o que eu nunca vivi. Eu realmente quero e estou disposta a dar o meu melhor pra que isso dê certo... Torçam por mim, desejem-me sorte. Espero que esse medo passe, que ele me prove que eu posso confiar... E que eu não me machuque, mais uma vez...
Espero que todas nós tenhamos uma boa semana. Sigo com o meu LF. Meu último NF durou apenas 20h, fiquei meio chateada, mas passou. Cuidem-se, sejam fortes.




-

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Scar Tissue

Os meninos da minha sala viram uma foto do meu braço no meu celular. Eu inventei uma história, disse que o braço não era meu e inventei algo na hora. Alguns acreditaram, outros não. Isso foi na semana passada e parece que eles já esqueceram. Que se danem!
Mas meu melhor amigo viu...
Ele não me disse nada, não disse que havia visto, mas pediu pra ver meu braço. Tentou ver à força, tentou erguer a manga da minha blusa. Eu me recusei a deixar. Eu ria, gritava, implorava pra que ele parasse... Eu não queria precisar esconder isso dele... Eu não queria precisar mentir ou omitir certas coisas dele... Mas eu me envergonho, eu não saberia como explicar.
Como explicar que a menina muitas vezes alegre e de risada escandalosa chora escondida, tem surtos, se auto-castiga?
Quem me conhece sabe, eu não pratico a auto mutilação, isso me dá um certo... Eu não sei explicar, mas não aprovo. Mas quando eu fiz isso, eu preferi me cortar, ver meu sangue nojento escorrendo pelo meu braço do que esmurrar meu roso ou dar cabeçadas na parede. Juro que quis fazer isso também. E muitas vezes quero. Mas geralmente me contento em gritar e arremessar coisas.
Agora, por exemplo, eu estou sentindo muita raiva de mim. Eu tive uma compulsão terrível ontem à noite e tive outra hoje. Comi sozinha no shopping depois da faculdade. Um Mc Bacon com refrigerante e batata, uma mousse de limão, Twix e uma barra de chocolate Laka. Vomitei tudo no banheiro do shopping e vim pra casa. Antes disso, eu havia saído com o pessoal da faculdade e tomado duas taças de sorvete. Vomitei também, claro. Pedi sorvete justamente por causa disso, não tem erro.
Eu não sei, estou cansada, irritada, queria sair andando na rua agora, andar muito, até secar. E se não fosse perigoso, eu iria. Tenho lição do inglês pra terminar, amanhã eu tenho prova às 8h da manhã, mas ainda não consegui parar pra fazer isso.
Fui dispensada das aulas de inglês da faculdade porque fiz uma prova oral e escrita de proficiência e passei com 9,5 nas duas. Pensei que fosse reprovar, nem acredito que passei, mas grande coisa...
Preciso me focar completamente em algo, eu estou me irritando comigo, esse post é o mais idiota que eu já escrevi, eu só deveria escrever quando quisesse contar algo que aconteceu. Isso de falar sobre como eu estou não é uma boa ideia. Eu estava bem durante o dia... Ou quase. Só quis ir embora quando saí com o pessoal da minha sala. É, do nada. Não vou mais sair com eles, sempre que saio assim eu me sinto mal... É muita gente, muita conversa, muita idiotice. Nada disso preenche o vazio.
Prefiro os meus amigos, minha família e só eles.
A propósito, esse fim de semana eu viajei pro sítio e foi perfeito. Hoje também estava sendo legal, até eu estragar tudo, como sempre. Esqueci de contar também que na semana passada eu tive uma arritmia cardíaca. Meu coração acelerou muito, eu senti um incômodo no pesoço e minha pulsação estava descontrolada. Depois desacelerava, quase parava e voltava de novo. Fiquei com muito medo. Vou marcar cardiologista.
Minha mãe falou de novo em marcar psicólogo. Acho que dessa vez eu vou, ela ta me enchendo o saco. Se ela parar de falar caso eu vá, eu até vou. Quem sabe não sirva pra algo, né? Acho que vou só pra ver, sei lá, vai saber... É muito confuso. Tudo é confuso!
Boa semana, beijos. Desculpem por não comentar no blog de vocês, eu ando correndo muito e não fazendo nada, de fato. Relevem essa idiotice, por favor. Toda essa confusão que existe na minha cabeça é lixo, puro lixo.



peace, peace, peace... where are you?


-

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Depois do erro, a redenção.

Após festas com muita comida e muito vômito (eca) no fim de semana... Após muita compulsão e muita ajuda da Mia... Após muito medo... Eu me pesei.
Graças a Deus, meu maior temor não se confirmou: eu não engordei! Obrigada, Senhor, por não ter me engordado. Obrigada, Mia, por ter me socorrido. Obrigada, Ana, por ter me perdoado e por estar aqui agora.
Entro nessa semana seguindo um LF de 200 cal. Vou tomar laxantes na quinta e fazer NF na sexta. Vou fazer exercícios a semana toda. Sábado eu viajo pro sítio. (Piscina, biquini... Medo!)
Preciso emagrecer até lá. Vou me esforçar ao máximo!
Minha irmã saiu com os amigos dela hoje pra comemorar o aniversário de um deles. De manhã ela me disse que só tomaria um copo de suco. Ela também não quer engordar, aliás, quer emagrecer por causa do fim de semana... Hoje ela estava dolorida dos exercícios que fez ontem... Disse que faria hoje de novo quando chegasse, eu disse que vou fazer com ela.
Senhor, eu só peço que o Senhor a proteja e me perdoe...

Durante a festa de sábado, me disseram que eu precisava comer. No sábado de manhã um colega na faculdade disse que eu precisava engordar... Quando falam isso, eu fico tentando me imaginar da visão de outra pessoa. Será que eu já posso ser considerada magra de verdade? Pelo menos aos olhos dos outros?


Aqui o selo que a Anna Darkness me entregou. (Muito obrigada, amiga)



1) Você é mais Mia ou mais Ana?
Eu diria que alterno entre fases, mas no momento estou vivendo numa maldita combinação das duas.

2) A quanto tempo está nessa?
Não sei, ao certo. Desde os 14 certamente. Talvez tenha começado antes, alguns pequenos indícios... Talvez.

3) Qual a maior loucura que vc fez pro Ana e Mia?
Não sei qual é a maior delas. Não acho que essas coisas sejam sãs. As piores são relacionadas à Mia, acredito. Já tomei shampoo e produto de limpeza pra provocar ânsia... Tantas coisas...!

4) Quantos kilos já perdeu com Ana e Mia?
Difícil. Desde que tenho consciência (porque anoto) fui dos 55 aos 48,5 em 2004. Depois fui aos 57, depois aos 45. Depois aos 61, depois aos 48 de novo. Algumas vezes.

5) Vc toma algum remeio para auxiliar no emagrecimento?
Sinceramente? Sou contra remédio. No máximo laxante, diurético e algum chá que ajude o metabolismo. Quero sozinha os méritos pela minha vitória, não quero creditar nada a remédio algum.

6) Se toma remédio, é com receita ou sem?
É, então né...

7) O que você acha de melhor na Ana e Mia?
Elas não são minhas amiguinhas lindas, nem nada disso. Já acreditei nisso, mas já vivi o bastante e já as conheço o suficiente pra afirmar que são parte de mim. Eu tenho o meu lado Ana, o meu lado Mia. E prefiro meu lado Ana, a Mia é torta e barulhenta, é errada e me assusta às vezes. Não sei se as amo ou as odeio. Ou os dois, ou nenhum.

8) O que você acha de pior na Ana e Mia?
Nunca poder estar bem comigo. Nunca me aceitar. Não conseguir enxergar a minha doçura, a minha beleza, inteligência e essas coisas que as pessoas falam. Nunca ser boa o bastante. Não me achar magra, não me sentir magra. Não me orgulhar de mim e das coisas que eu faço. (Basicamente)

9) Você pratica auto-mutilação?
Repudio e já fiz. Me arrependo.

10) Imagine quando você tiver filhos. O que você faria ao descobrir que eles são Ana e Mia?
Não tenho ideia. Sinto medo por quem eu amo. Acho que me culparia, provavelmente.

11) O que você quer vestir e ainda não pode?
Não gosto de nada que eu visto. Mesmo que a calça fique larga, eu sempre acho que vou romper a costura.

12) O que te fez criar um blog?
Primeiro, eu anotava tudo no papel mesmo. O que sentia, o que comia, quanto pesava. Fiquei com medo de encontrarem e passei a digitar no word e salvar em disquete. Fiquei com medo de encontrarem o disquete e criei um blog no Uol, mas não era liberado pra comentário e nem tinha links nem nada. Era só um diário mesmo, pessoal e tinha até o meu nome verdadeiro. Então eu fui descobrindo alguns blogs... É engraçado porque eu fiquei maravilhada quando comecei a notar as semelhanças (que existem entre todas nós). Hábitos, sentimentos, forma de pensar... Mais tarde, com 17 anos, eu criei um blog pra poder ter contato com as meninas dos blogs que eu lia. E foi assim que surgiu :)


13) Diga um adjetivo para:

(Não pode ser um verbo? Acho melhor)

ANA: Controlar
MIA: Ajudar
COMPULSÃO: Cair

14) Indique três blog’s para receber este selinho!

Ferzinha, Dreamer, Audrey.


Selinho que ganhei da Siren. (Muito obrigada!)

1. Selo



2. Link de quem enviou
http://thinmermaid.blogspot.com/

3. Passar a oito pessoas e avisar
passo pra quem quiser, sintam-se à vontade.


Cuidem-se sempre. Sejam fortes. Obrigada sempre, comento no blog de todas depois!


-

terça-feira, 22 de setembro de 2009

FAT




Depois do último post, eu comi, surtei, miei, surtei, chorei, me cortei. E chorei mais. E surtei completamente.
Me senti péssima! Eu já tinha a certeza que tinha engordado e havia acabado de ter outra compulsão de madrugada. Então eu peguei uma lâmina e cortei a palavra "FAT" no meu braço. Pra eu me lembrar de quem eu era. Pra eu saber de uma vez por todas que eu não passava disso: de uma gorda! E que eu precisava lutar de verdade pra mudar isso.
Não entendi direito. Eu não costumo fazer isso. Eu não quis me cortar, simplesmente. Eu queria justamente marcar aquilo, sentir, de fato.



Limpei o sangue, escondi as evidências, fui dormir. Estou usando blusa desde então. Desde a madrugada do dia 14 de setembro. Sorte que aqui está frio, muita sorte! E muito bom!
No dia seguinte eu criei coragem e me pesei, fui ver quanto eu havia engordado. E eu não engordei, ao contrário, emagreci mais 1kg. E a sensação de ter engordado era tão forte que eu tinha absoluta certeza! Que loucura...!
O fato é que eu não estou bem. Algumas coisas "fora disso", algumas coisas na minha vida também estão um caos. Decepção com ex-namorado, intriga entre amigos, cobranças dos meus pais, pressão na faculdade... Eu preciso assimilar tudo, conciliar tudo com esse meu "mundo particular".
Sexta-feira eu quase me meti em problemas. Saí pra beber com alguns meninos da faculdade. Depois eles decidiram ir pra outro lugar, pra "gruta"; Um lugar em Alphaville, perto da faculdade, onde o pessoal vai pra fumar e tal. Fui no carro com mais três meninos. O dono do carro totalmente chapado! Morri de medo!
Depois chegamos na tal gruta, o pessoal fumou maconha e tal. Inclusive o motorista que ia me levar pra casa. Resultado: todo mundo bem louco, eu sem habilitação, meu melhor amigo também não tem... Mas mesmo assim, ele (meu melhor amigo) que levou o carro. De madrugada, e a gente morrendo de medo, desviando de todas as viaturas porque senão, imaginem onde eu estaria. E essa não é a pior das hipóteses, considerem o estado das pessoas...
Mas deu tudo certo, eu preciso pôr a minha cabeça no lugar.
Preciso comentar no blog de vocês, me desculpem a ausência. Obrigada pelos comentários, pelo apoio que vocês me dão através deles. E obrigada às meninas que me deixaram os selinhos em seus blogs. De verdade! (fica pro próximo post!) (:
Cuidem-se.




NOJO!


-

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Wake me up when september ends

Essa semana eu comi um monte de porcaria, miei todos os dias, engordei, briguei com a minha mãe, fugi da aula de inglês, me atrasei pra faculdade e dormi muito pouco. E muio mal.
Tô fazendo tudo errado e quero chorar. Não tô bem, decididamente. Consegui ficar com matéria atrasada, tenho que ler um livro até sábado e perdi trabalho. Sinto que estou afundando, eu só preciso de força pra resistir e voltar à superficie.
Queria dormir, mas não tenho sono. Já que tudo está perdido por hoje, acho que vou comer o que tem aqui, miar, tomar laxantes e dormir. Já me sinto exausta, mas não tenho sono. Não me tranquilizo, não consigo dormir. Tenho trocado o dia pela noite e meus pais reclamaram dos meus horários.
Sono agitado, sonhos estranhos. Hoje eu levantei procurando o que comer. Foi assim o dia inteiro, tem dias que são assim mesmo...

"Dai-me Senhor, a perseverança das ondas do mar, que fazem de cada recuo um ponto de partida para um novo avanço."

Não é fácil. Isso tudo precisa valer a pena.
Cuidem-se.




-

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Dor

Meu melhor amigo me apertou em um abraço e me ergueu do chão.
- Como você é levinha! - Ele disse.
Um outro amigo me abraçou pra me cumprimentar. E disse:
- Nossa, você ta magrela.
Minha tia comentou:
- Você emagreceu, né, fia? Ta 'zóiuda'. (¬¬º)
Minha outra tia:
- Nossa, como você ta magrinha! O que fizeram com você? Você ta sem comer?
- HAHAHAHA ¬¬º (foi a resposta mais educada que eu pude dar)
Minha mãe disse:
- Você ta muito abatida.
Sim, só pra acabar com toda graça.

Sei lá, achei legal. Estava com medo de ver certas pessoas que eu não via há algum tempo, tinha medo de que não pudessem notar que eu havia emagrecido. Então que bom que dá pra notar, oras. Que bom.
Eu deveria estar mais feliz e tudo, meu fim de semana foi muito legal. Festa, bebida, narguile, amigos, ex-namorado, família, missa (sim, missa!), essas coisas... Mas eu estou preocupada.
Estou com uma dor insuportável! Não sei se é meu dente, minha garganta ou meu ouvido. Mas eu sinto muita dor em toda essa região do lado esquerdo. A dor me acorda no meio da noite, eu me encho de anti-inflamatório. Não resolve muita coisa.
Há um mês eu fiz algumas obturações nos dentes e fiz limpeza. Já faz tempo que eu venho sentindo dor. Depois das obturações ficou pior, eu mal podia comer. Que tragédia! Hehe, mas é sério. Sempre incomodou demais. E agora me tortura absurdamente!
Tive que ir embora mais cedo da aula no sábado, chorei de dor. Acordei de madrugada chorando de dor, duas vezes. Morri de dor o dia todo ontem e hoje. Chorei também.
Amanhã eu vou ao médico. Preciso ir, quero acabar logo com isso, saber o que dói e porque dói. Talvez eu tenha que fazer canal e eu sou do tipo de pessoa que sofre por antecipação. Quando eu obturei meu último dente eu tomei cinco anestesias e nenhuma fez efeito. Quase morri naquela maldita cadeira de dentista. Tenho trauma.
Por favor, rezem por mim, eu tenho pavor da dor física. A dor de espírito eu tenho suportado bem há bastante tempo, essa eu tiro de letra.
Meu estômago está se contorcendo aqui, mas eu vou tomar laxante, mais anti-inflamatório e tentar dormir.
Bom feriado.
Vou aproveitar o meu pra fazer alguns trabalhos e pra organizar o meu quarto. É, outra vez :)
Vai dar tudo certo!
Obrigada pelos comentários, comento depois. Ta doendo muito aqui :/



"A dor não me mata, me faz mais forte!"


-

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Sis ♥

Minha irmã é uma das minhas melhores amigas. A gente se dá super bem quando não está se estapeando (o que não é tão raro assim), mas mesmo depois desses momentos de briga e tal, acabamos fazendo as pazes em dois minutos, sem precisar pedir desculpas.
Nós nunca fomos exatamente confidentes. Ela é como eu e não conta os seus segredos. Somos implícitas, reservadas e complexadas.
Tenho sentido muita falta dela. Ela era minha companhia certa, mas agora eu divido a atenção dela com o namorado. Isso não é nada legal.
Ontem nós passamos o dia juntas, cabulamos aula juntas. Ela a escola e eu a faculdade. Nós duas e o meu amigo, como sempre. Foi tão maravilhoso! Passamos o dia comprando coisas no shopping, comendo... E eu miando, o que, é claro, tinha que me diferir deles.
Mas aí eu fiquei pensando. Talvez essa seja a única coisa que me torne diferente, então. Minha irmã é 3cm mais baixa que eu. Eu tenho 1,70m e ela 1,67m. Nossas metas de peso são as mesmas: 45kg.
Não queria ouvir isso dela ontem. Não queria que ela quisesse emagrecer mais. Ela já está muito perto, deve pesar uns 47kg, no máximo! Não sei exatamente e nem tem como saber o peso exato porque, assim como eu, ela tampa o visor da balança pra ninguém ver o peso dela.
Ela emagreceu 2kg desde a última vez que se pesou. Minha mãe comprou calças novas pra ela, ambas número 36 e teve que apertar as duas. Ontem ela comprou uma blusinha PP. E sempre fica tudo largo.
Agora ela me diz que vai se pesar toda semana pra ter um controle maior. E eu pedi que ela não fizesse isso porque o peso pode se alterar muito dependendo da roupa, calçado, retenção de líquidos e etc.. Tentei de tudo, todas as razões "técnicas" e "não técnicas". Bom, eu não a convenci.
Eu fico com bastante medo. Mas eu acho que ela é mais... O que seria? Mais sensata, mais lúcida que eu. Ela sabe de coisas que eu não sabia. Eu preciso me convencer que não, ela não vai pelo mesmo caminho.
Ela só tem 17.





-

Só emagreci mais 1kg. O que é um absurdo, considerando o meu peso atual. Continuo uma orca e tô morrendo de nojo!
Já caminhei uma hora hoje. Não é o suficiente, que ódio!


TOTAL ATÉ AGORA: -8KG.

-

domingo, 30 de agosto de 2009

Infinitamente

Eu sempre quero me lembrar desse sábado, dia 29 de agosto de 2009.
De manhã eu fui pra faculdade, pois antes da aula teria campeonato. Eu, super atleta que sou fiquei torcendo, hehe. Nunca vi torcida mais desanimada, eu nunca sabia o que estava acontecendo, mas ok.
Depois do jogo, os meninos inventaram de comprar bebida e beber antes da aula. Eu topei e fui com eles até um mercado próximo à faculdade pra comprar as coisas. Depois nós fomos pra um posto beber; 11 pessoas, eu acho. 10 meninos e eu.
Eu bebi duas doses de vodka com Dell Valle de pêssego e já fiquei beeem. Depois dei mais uns goles do copo dos meninos de tanto eles reclamarem que eu era fraca e tal e foi só. Eu só tinha tomado uma xícara de café puro em casa e já eram mais de 2h da tarde, então...
Depois entramos na aula. Puts, que foda! Tivemos que redigir um texto em linguagem padrão formal na aula de Comunicação Empresarial. Eu mal conseguia pegar na caneta! Nós sentamos em semi círculo e eu ria de tudo! Os meninos estavam muito piores... Fiz uma poesia que a professora considerou muito boa. Fui a segunda a terminar e saí da sala. A professora nos dispensou por causa do barulho, hehe.
O pessoal que bebeu foi o primeiro a terminar. Talvez porque todo mundo seja meio poeta quando beba, ou sei lá, eu não sei porquê.
Já era fim de tarde e eu peguei meu caminho de volta pra casa, com o meu amigo. Nós íamos sair à noite: ele, eu, meu ex-namorado (como amigos!) e minha prima, - que é a namorada do meu melhor amigo e que é minha melhor amiga também. - Enfim.
Meu ex-namorado pegou a gente no meio do caminho, nos levou pra casa. Eu cheguei, tive uma puta compulsão, miei, tomei banho, me arrumei e tal e lá pra umas 10:30 eles chegaram pra me buscar. Fomos pra uma balada no Vila Olímpia, em São Paulo. Muito bom!
Fiquei com o meu ex-namorado, era inevitável e eu já sabia que ia acontecer. Ele terminou com a namorada dele... Agora eu não sei o que vai acontecer! Medo!
Cheguei em casa quase 5h. Me arrumei pra dormir e acordei sozinha às 8:25, que legal! Insônia amiga.

De qualquer forma, hoje eu amanheci muito bem! Ah, que bom!
Essa semana foi bem foda pra mim, sabe. Comi muito pouco ou quase nada durante o dia, todos os dias. E todas as noites tive compulsão, miei, e fiquei com dor de garganta. Ainda estou. Ontem na balada, eu tomei uma dose de vodka e não consegui tomar mais nada! Meu estômago doeu muito!
Mesmo assim eu emagreci. Andei pra caramba, quando miei forcei até sair tudo quanto foi possível. E emagreci mais 3kg.
Estou planejando um NF pra essa terça-feira, primeiro dia de setembro. Eu gosto de setembro, não me perguntem por que, haha. Bom, ainda são planos.
Ainda estou muito longe, não posso me permitir tantas falhas. Me desculpem por não ter comentado no blog de vocês, eu estive bem maluca essa semana... Bem maluca!
Comento agora!



THE BITCH IS BACK!


TOTAL ATÉ AGORA: -7KG



-

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Can boys and girls be friends?

Primeira semana na faculdade nova. Estou amando!
Meu melhor amigo, - que havia ficado na lista de espera - foi chamado e nós estamos na mesma sala. Não poderia ser melhor, sabe. Pra quem duvida que amizade entre menino e menina possa existir em sua forma mais pura, eu sou a garantia de que existe sim! E é maravilhoso! Ele fala "ai" e eu dou risada. Eu ri mais nos quatro primeiros dias dessa semana do que nos últimos meses inteiros! Ele é meu anjo, sou tão sortuda! ♥
E é bom também porque no período em que nós estamos lá na faculdade, nós não comemos nada. O ruim é que, como eu estudo à tarde, eu estou em casa na hora do almoço e jantar. O almoço eu engano porque minha mãe está trabalhando nesse horário, nem almoço. Mas o jantar me ferra sempre! Na maioria das noites eu exagero e, por isso, continuo miando todos os dias. É, não é nada legal...
Por outro lado, estou andando bastante, procuro ir e voltar a pé do inglês, duas vezes por semana. E eu também tenho aulas aos sábados, o que vai me ajudar em termos de dietas. Na verdade não vai nem me atrapalhar porque festa mesmo, é só à noite. E quando tem e eu tô a fim de ir, ainda tem essa.
De resto, tudo ok! Meu amigo está me ajudando a ser mais sociável. Pra ele é a coisa mais fácil do mundo, mas eu acho muito difícil chegar no grupinho fechado do pessoal da nossa sala conversando no pátio e dizer oi. Acho que sempre faço cara de idiota quanto tento sorrir, mas um dia eu aprendo! Haha.
Cuidem-se. E cuidem de quem vocês amam. Dos amigos de vocês que também podem ser seus irmãos. Dos irmãos e irmãs que também são amigos. E dos pais de vocês. Seus avós e padrinhos. Seus primos e todos os parentes. Seu animal de estimação, que de certa forma não deixa de ser menos importante.
Fico devendo as visitas nos blogs de vocês, mas já vai dar 1h e eu realmente preciso tentar dormir. Aproveitar a chuva! *-*
Obrigada por tudo, princess!



Obrigada, best friend! (;




EMAGRECI MAIS 2,5 KG.
TOTAL: - 4 KG.



-

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Às vezes eu faço promessas malucas...

(...) tão curtas quanto um sonho bom.

Já não durmo direito há algumas noites e ainda é difícil ter sono. Não sei mais o que fazer em casa, preciso que essas férias terminem logo. E também preciso de ânimo e força pra começar o semestre que se aproxima.
Eu sei que não posso falhar e preciso ser melhor do que sempre fui porque, pra mim, esse tempo todo eu apenas beirei a medíocridade. Em todos os aspectos, eu acho muito difícil fazer algo direito. Eu sou incompleta, inconstante, imperfeita. Nada está bom, é no máximo razoável e eu continuo frustrada.
Eu acho que peço demais, espero demais e ajo de modo deprimente.
Eu não me pesei ainda, queria ter feito isso hoje, mas eu nem me atrevi a colocar os pés fora da porta. Tenho medo de pôr jeans, tenho medo de não ter emagrecido, tenho medo de ter engordado mesmo comendo o mínimo possível.
Miei todos os dias, tomei laxantes de domingo pra segunda e ontem eu mal parava em pé de tanta fraqueza.
Eu tento me medir porque olhar no espelho não adianta. Eu tento pensar em outra coisa e ler, mas eu não consigo. Meus dias são todos iguais... Eu preciso que mude, mas por outro lado eu não quero. Não tenho vontade de sair de casa e encarar o mundo e tanta gente, não quero falhar de novo, não quero mais.





-

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Keep Going!

Ontem eu fui visitar o irmãozinho da minha amiga C. que nasceu. Foi eu, minha irmã e mais três amigas de carro e foi super legal! Antes de ir, por volta das 14h, eu tomei meio copo de suco Clight. Antes disso, eu havia tomado iogurte com aveia no café da manhã. E até então tudo bem.
Mas ontem fez um calor infernal, os termômetros de rua marcaram 30ºc. E eu AMO calor, né ¬¬' Quando deu 5h da tarde, eu já estava fraca. Bebi muita, muita água e até que ajudou um pouco. Me deu muita raiva da minha fraqueza, porque eu sei que é culpa minha. Antes eu podia fazer mais de 48h de NF e não sentia nada... Mas eu suportei bem até chegar em casa.
Então aqui em casa, assim que cheguei, eu tomei um copinho de iogurte.
E depois resolvi jantar, porque minha mãe tinha feito strogonoff. Mas eu já havia planejado miar antes mesmo de tirar a comida. Então eu enchi mesmo o prato, coloquei três colheres de sopa de arroz, duas de feijão e três de strogonoff. Suportei o olhar torto da minha mãe pro meu prato. Mas sorte que ontem ela não me disse: "Você não vai agüentar comer tudo isso" ou "Se vc não conseguir comer tudo, pode deixar" ¬¬º
Comi e disse que ia tomar banho antes de as visitas chegarem. Ela reclamou, perguntou quantas vezes ela já me disse que não é pra eu tomar banho depois de comer. Mas eu fui e miei.
Depois das 9h, eu fervi leite e tomei enquanto comia biscoito salgado, escondida. Aproveitei que meus pais estavam com visita. E miei. E, antes de dormir, quando todo mundo já estava dormindo, eu ainda comi duas fatias do bolo que minha mãe serviu para a visita e miei. Tomei quatro comprimidos de laxante e fui dormir.
Foi bem desastroso, mas a quantidade de calorias ingeridas, por fim, não foi muito alta, graças à Mia.
Os outros dias foram melhores e, pelo menos eu estou emagrecendo.
E eu não vou parar.



Hoje, 07 de agosto, obesa, nojenta, humilhada. Mas isso vai mudar.



EMAGRECI 1,5kg


-

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Just the same

Hoje eu me pesei e quase tive um infarto quando vi. Uma atrocidade! Eu não sei como eu pude fazer isso comigo, mas que porca nojenta que eu sou!
Eu estou comendo muito, muito mesmo! E acho que jantei todos os dias nos últimos dias e não miei nenhum, porque não dá mais! Que ódio! Só mio o que eu como durante o dia, mas não adianta muita coisa porque à noite é pior.
Hoje eu tomei iogurte com aveia no café da manhã e me pesei. Cheguei em casa, almocei um monte e miei. Depois comi uma mexirica e, um pouco depois, chocolate e Club Social. E miei.
Não agüento mais isso!
Me refiro ao meu descontrole. É nojento demais! E toda a minha disciplina? Onde foi parar o meu autocontrole e a minha vergonha na cara?
Me sinto péssima! Minhas roupas estão apertadas e eu estou muito feia!
E preciso emagrecer logo, minhas aulas voltam dia 17.
Nem que eu mie tudo que eu comer, já que eu não posso comer mais nada e ainda como, nem que eu mie tudo, eu vou emagrecer de novo!
Eu tenho outro corpo, é assim que eu me sinto, com um outro corpo. Grande e feio, uma aberração. É desesperador, vocês sabem.
Eu tô enlouquecendo com isso!
Ninguém pode tocar o meu braço que eu já sinto ele molenga e gordo, me dá vontade de me cortar, de gritar! Sinto vergonha de abraçar as pessoas... Eu me xingo o tempo todo!
Vou postar com mais freqüência e vou postando aqui conforme for me pesando. Torçam po mim!


1) Publicar o selinho e dizer quem indicou: Dreamer ♥




2) Responder o questionário abaixo:


1. Você é casada? Não.
2. Tem quantos filhos? Nenhum!
3. Fuma? Às vezes, em festas, quando eu já tô bêbada.
4. Bebe? Em festas.
5. Tem compulsão por algum tipo de comida? Por todas D:
6. Prefere Calor ou Frio? Frio!
7. Prefere Doce ou Salgado? Doce.
8. Qual sua profissão? Estudante.
9. Último filme que você viu? Não lembro. Sex and the City, talvez, pelá 489ª vez.
10. Qual foi o dia mais feliz da sua vida? Show do RBD, outubro de 2006 e maio de 2008, minha festa de 15 anos, sei lá...


3) Indicar blogueiras merecedoras do selinho e avisar a elas


♥ Audrey
♥ Andie
♥ Ferzinha



-

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

If today was your last day

Na semana passada, uns bandidos ligaram aqui na minha casa e simularam o seqüestro da minha irmã. Disseram que estavam com ela, uma menina ao telefone chorava dizendo que estava machucada, chamava pela minha mãe. E minha mãe, do outro lado da linha, entrava em pânico. Eles fizeram ameaças e exigências...
Por sorte meu pai conseguiu falar com a minha irmã no celular e descobriu a farsa. Graças a Deus está tudo bem. Está tudo bem.
Me sinto completamente egoísta e estúpida por reclamar tanto. E se fosse verdade? E se eu não tivesse mais a minha irmã? E se a minha mãe, que é hipertensa, tivesse passado mal ao telefone?
Eu nem gosto de imaginar, me dói, eu choro.
O fato é que nós não sabemos quanto tempo nos resta. Eu não sei até quando eu vou ficar aqui... Eu quero ser importante e deixar marcas. Não quero estar sempre deprimida e cabisbaixa. Eu só reclamo, eu só questiono.
Talvez tenha sido o susto, mas me ajudou a ver as coisas de outro modo.
Eu tenho tudo e sou grata por isso. Eu sou abençoada por enxergar, andar. Por ter a minha família... Simplesmente por estar respirando agora.

CARPE DIEM!

sábado, 25 de julho de 2009

You are not alone

Eu não saberia dizer o motivo pelo qual eu me sinto assim. É um misto de tristeza e tristeza, mas não poderia ser assim.
Eu estou sozinha agora, me sentindo apática demais pra falar ou ligar pra alguém, então eu escrevo.
Fico imaginando o que cada um dos meus amigos devem estar fazendo agora, provavelmente eles não estão sozinhos. Talvez estejam se divertindo, e, no final, resta eu e eu. Como sempre, eu já deveria ter me acostumado. Um "oi" bastaria. Só pra eu saber que não estou sozinha nesse mundo.
É assim que eu me sinto, me sinto solta, uma peça que não se encaixa no quebra-cabeça. Acho que eu não deveria ter nascido aqui...
Hoje eu estava sozinha em casa por volta das 17h, quando tive uma compulsão. E miei. Ninguém nunca saberá disso, eu não compartilho com ninguém, como alguém pode me conhecer, então? Como eu posso achar que tenho amigos? Eles gostam de alguém que eu não sou. E nunca serei.
Essa confusão parece que não acaba nunca, é repetitiva e idiota.
Se gritar aliviasse, eu gritaria. Sairia na chuva que cai nesse momento e gritaria pra que Deus pudesse ouvir meu desespero e minha culpa.
Eu sei que Ele me ama como filha e isso me conforta agora. Eu repito pra mim que não estou sozinha e acredito. Já é noite, logo o dia termina e eu vou sorrir amanhã durante o almoço de domingo. Almoço que eu irei beliscar OU me empanturrar e vomitar. Mas não importa. É só um dia ruim. Só mais um dia ruim e ele também vai passar.
Sei que a minha solidão não é a maior do mundo, muito menos o meu sofrimento. E sei também que mais pessoas se sentem assim agora, se sentiram ou sentirão ao longo de outros dias. É sempre assim, não é? Vocês não estão sozinhos, alguém no mundo sente o mesmo. Podem acreditar.

-

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Meu pai disse que tem orgulho de mim.

O resultado do vestibular saiu à 1h da manhã do dia 20 de julho. E eu passei! Em terceiro lugar, fiquei super feliz! (Obrigada, Senhor!)
Deixei um bilhete para os meus pais, para que eles soubessem do resultado antes de ir trabalhar - já que eu estou dormindo quando eles saem.
Eu acordei e ainda estava deitada, pensando, quando recebi uma mensagem do meu pai no celular:
"Barbie, me orgulho muito de você. Parabéns! Te amo. Beijo, pai"
E então eu chorei :')
Eu respondi a mensagem com um "Obrigada, também te amo". Não me lembro de ter lido, ouvido, sei lá, o meu pai dizer que me amava. Nem que se orgulhava de mim. Talvez no fundo eu soubesse disso, ou não. O fato é que existe um oceano entre saber-se amado e sentir-se amado. E a culpa é de quem? De ninguém, eu acho. Ou de todo mundo.
Eu me arrependi de ter dito, sempre que eu disse, que não o amava. Senti remorço e raiva de mim. Não deveria ter dito.
Eu tenho dificuldade em dizer, escrever é muito mais fácil. Eu penso mil vezes antes de dizer "te amo" ou "amo você". Acho muito difícil! Eu sou implícita! Me atrapalha, me sufoca... E pra falar a verdade, eu não amo quase ninguém.


Então. Agora minhas aulas começam dia 3 de agosto, o que significa que eu estou de férias até lá.
Estou animada, cheia de expectativa. Quero fazer amizade, vou tentar ser mais sociável e alegre (?) haha. E tirar notas altas, claro! Por favor, Deus! Porque faculdade pública... Bom, acho que todo mundo sabe como é.
Quero que chegue logo dia 3! Quero ser testada, quero ser desafiada! (:
Até lá, vou tentar me livrar de pelo menos um pouco desse excesso de gordura no meu corpo, argh!
Tô supergorda, principalmente agora, sem poder miar como antes. Voltei a tomar laxante esses dias, mas me arrependi, que nojo! Não tenho um plano específico porque isso só ta atrasando a minha vida. Um deslize e eu mando tudo pro espaço. Então é melhor eu ir diminuindo o que puder. São 14:19 e eu tomei um copo de leite no café da manhã às 8h hoje. Também comi um pacote gigante de Ruffles, mas isso não conta porque eu miei. (Tô sozinha em casa).
É de tarde que o cerco se fecha.


Não sei o que vou fazer no fim de semana. A mãe da minha amiga C. e o padrasto dela viajaram, foram para a casa de praia (e nem ta frio né! hehe) e a gente ta pensando em dar uma festinha lá. Mas eu tô meio assim, queria dar um tempo desse pessoal porque as coisas estão complicadas pra mim. Nos últimos dois fins de semana, meus amigos fizeram festa no sábado, os dois últimos sábados. No do dia 11, tudo ok, eu bebi e fiquei numa boa, me lembro de tudo, inclusive de que eu assumi o lugar do DJ e toquei umas três músicas! lol Tudo bem que meus amigos gritaram: "tira essa filha da puta daí!" haha mas tudo bem, foi engraçado. (Aqueles gays --' kaoskakaspa)
Mas no sábado do dia 18, eu fiquei com o mesmo menino que eu fiquei dia 11. Mas aí, um amigo meu, (que eu já fiquei há muito tempo) tentou ficar comigo e tal. E eu estava bêbada. Mas eu não ia ficar com ele porque ele não presta! Por causa dele, eu acabei com a minha reputação. Ele é lindo demais, mas não presta. Ok. Mas aí eu meio que deixava ele começar a me beijar mas depois eu parava. E fiquei enrolando ele (hehe 666). E foi só isso! Juro! E agora ta todo mundo falando que eu fiquei com ele, que viram que eu fiquei com ele (como?) e que eu fiquei também com o outro menino e isso é só o começo do que estão dizendo... Não queiram imaginar o resto. Tô queimada de novo. Bando de...! Que ódio!
Agora eu não sei. Talvez eu fique em casa, talvez não.
Acho que vou sair mesmo e danem-se eles! Quem são eles?

"I'm a bitch when I wanna be" (Chuck Bass)


Se cuidem, força!


(Obs: que frase culta a minha!)
(Obs2: deu pra perceber que eu estou de bom humor hoje?)


Beijos;*





(ANAHÍ ♥)

-

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Lamúrias

Eu entrei no banheiro e encostei a porta. Me inclinei sobre a privada e me livrei daquele monte de calorias. Do lado de fora, ouvi a voz da minha mãe:
"Ai, meu Deus!".
Na hora eu senti. E pensei: "Fodeu!". (Mas ela não estava no andar debaixo?!)
Não tenho certeza se ela viu através do buraco da fechadura ou se ouviu. O fato é que ela quis tirar a história a limpo. Disse que desconfiava que eu estava fazendo algo muito errado, e que isso já faz tempo. Disse que espera ter a oportunidade de confirmar isso pra me mandar pra um manicômio porque o que eu faço é coisa de gente louca. Mas ela disse que espera mais ainda que a sua suspeita se confirme como falsa, para que eu não esteja fazendo essas coisas, para que eu não traga mais problemas, para que eu não desperdice a minha vida e a minha inteligência, não despercide a minha saúde com isso.
E, daquele momento em diante ela me avisou que meus passos seriam controlados, meus movimentos vigiados. Tenho que tomar banho à tarde, antes de comer qualquer coisa. Se for pra escovar os dentes, a porta deverá ser mantida aberta. Enquanto ela estiver no andar debaixo, meu pai estará no andar de cima comigo e vice-versa. Eu não fico mais sozinha.
Isso aconteceu durante a semana. No fim de semana anterior, meu primo me perguntou sobre a Mia enquanto estávamos na quermesse. Eu fraquejei, tremi. Ele é meu irmão. Ele nunca lerá isso e nunca saberá como eu me senti por ter de mentir pra ele. Eu me senti a pior das criaturas! Um remorço que eu não sei como explicar! Ele quis entender porque eu disse que vomitava - durante aquela festa, na qual eu estava bêbada. - Desconversei, disse que não me lembrava, que provavelmente era alguma bobagem porque estava 'alta'. Ele me fez prometer que eu estava dizendo a verdade. Eu menti.
Mas eu espero que ele entenda. Esse fardo é meu e eu preciso carregá-lo sozinha. Não quero preocupá-lo. Não suportaria vê-lo sofrendo por mim...

Eu me sinto muito mal por todas essas coisas. Eu não queria ser assim, eu não quero mais! Eu quero ser livre, não quero mais me matar um pouquinho a cada dia, eu nunca quis morrer! Eu só queria ser magra, só queria ser bonita, por que esse inferno teve que começar?
Queria pedir perdão a todos que me amam (se me amam), e que nunca lerão isso. Perdão por decepcionar todos vocês, por preocupá-los, por ser um peso em suas vidas e por não ser digna de merecer nem metade do amor de vocês. Me perdoem. Por isso. Por tudo.

Agora não tem mais volta. Eu estou gorda, comendo horrores, ansiosa e sozinha. Não sinto que tenho o apoio das pessoas ao meu redor, as minhas amizades têm me decepcionado, eu sempre sinto que falta algo.
Na verdade, eu acho que ninguém se importa. A família é a única coisa que é pra sempre. A minha mãe. De resto, ninguém liga muito mesmo. Meu primo, talvez. Eu sei lá!
Eu tô triste, não tenho com quem contar! E eu fico calada, eu tô cada vez mais quieta. Tudo me fere, brincadeiras me ofendem e tudo me machuca. Tenho chorado muito, vou dormir chorando... Eu rezo e só peço pra Deus me perdoar e protejer a minha família. Não quero mais nada, não me atrevo a pedir mais. Eu tenho tudo e não tenho nada. Mas a culpa é minha. E eu mereço pagar por isso. Eu mereço tudo isso.
Eu vou agradecer o que vier. Independente do que seja. Que a vontade Dele prevaleça.


O resultado do vestibular sai hoje (20 de julho). Seja o que Deus quiser.

Força. Just stay strong.


-

domingo, 28 de junho de 2009

Não entendo.

...Cansei de tentar entender. Peguei os remos do bote e joguei para longe... Vi que a correnteza é mais forte que minhas braçadas.




Hoje eu prestei o vestibular e, graças a Deus, acredito que tenho boas chances de passar! Eu agradeço a quem rezou por mim, eu peço, por favor, para que continuem rezando, isso é muito importante pra mim.

Obrigada! *-*

-

segunda-feira, 22 de junho de 2009

"Por Deus nunca me vi tão só...

É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais"



Sabe o que é mais foda?
É passar uma semana de cão e não ver a hora de chegar uma outra semana pra poder recomeçar com toda sua força e cair outra vez. O mais foda é depositar toda a sua esperança, acreditar completamente em algo que, em segundos, é destruído.
Hoje foi assim.
Esperei tanto por hoje. Começar um lf só de proteínas, não miar.
No meio da tarde, eu comi um pretzel e tudo acabou aí: meu plano, minha força, minha fé...
Mais um dia perdido.
E nós não podemos perder um dia sequer, não podemos perder nenhum minuto, nenhum instante... Eu sinto essa pressão e desmorono diante dela.
Comi bastante bala no fim da tarde. Depois jantei pra poder miar tudo de uma vez. Minha mãe pediu pra eu devolver um pouco da comida porque peguei demais. Eu disse que aguentava comer tudo. E comi. Depois fui tomar banho e miei. Quando saí do banho, estava tremendo e completamente zonza. Isso já aconteceu mil vezes. Então comi mais... Só besteira. E não miei ainda.
Não é fácil, a Mia te faz perder a esperança, parece que vai ser assim pra sempre. Você está sempre correndo em círculos, você se vê repetindo sempre os mesmos erros e você sabe que é muita burrice, mas não consegue se desvencilhar.
Acho que o excesso de expectativa atrapalha tudo. Mas eu sei que me sairia melhor se não fosse tão fraca. Pessoas fortes são capazes de contornar situações como essas, mas eu não.
Talvez eu já tenha mesmo sido forte. Ficar dias sem comer, perder bastante peso, ser magra, de fato... Não sou mais. Eu sou só uma mia. Nada mais. Eu como e mio. Só isso.
Tenho me sentido muito sozinha ultimamente. É bem chato porque eu vivo cercada de gente, mas eu mal converso. Falo muito pouco. Sinto falta dos meus amigos... Sinto falta do meu ex-namorado, mas isso é segredo e eu me odeio por isso.
Não vou reclamar, não vou pedir atenção. Cada um tem a sua vida, todo mundo está ocupado, correndo de um lado pro outro pra dar conta de fazer tudo. De certa forma, eu também. Mas eu me sinto vazia. Eu faço o que tenho que fazer e acho que faço mal feito. Eu acho que poderia fazer mais. Eu acho que perco tempo demais.
Puro desperdício de vida...
Espero que um dia eu aprenda a viver, a aproveitar a vida. E espero que isso não aconteça muito perto de eu morrer.

OBS: Quero chegar aos 100 anos :]





"Poco a poco el corazón va perdiendo la fe, perdiendo la voz..."


-

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Sacrifice

Por dias eu tenho me mantido afastada dela, não tenho seguido seus conselhos, não tenho obedecido. Às vezes olho pra fitinha vermelha em meu pulso esquerdo e sinto culpa por desonrá-la assim.
Eu estava bem, mas voltei a me sentir estranha. Estou com uma dor no peito e um vazio, eu não posso mais agir dessa forma. Eu me sinto como se tivesse com mãos e pés algemados, eu não consigo comer sem pensar nas calorias, sem ter tramado uma forma de miar tudo antes que meu organismo absorva cada caloria.
Tenho comido, sim. E me envergonho por isso. Tenho comido muito, realmente. E não miei o necessário pra compensar a minha indisciplina. Eu me sinto triste porque sei que estou fazendo tudo errado, por estar correndo na direção errada.
Já acordo me sentindo uma fracassada eu nem me arrisco a tentar.
Falhei em todos os dias do meu lf na semana passada. Todos. Tudo terminou - como sempre - em compulsão, mas a Mia estava ali. Vou ter que voltar para o começo...
Eu sei que isso vai implicar a tranqüilidade que eu estava sentindo, os sorrisos que eu estava dando. Mas o inferno na minha cabeça continua, é tudo superficial! E eu tô tão gorda, eu me odeio todos os dias. Me dá nojo colocar a calça jeans, parei de me medir e de me olhar no espelho.
Eu vou começar outra vez. A fraqueza vai me incomodar muito mais agora que o meu organismo se acostumou aos excessos. Dor, dor, dor... Desconforto. Vou ficar irritada outra vez, triste, eu sei. Tenho sentido medo de me sentir assim...
Vale todo o sacrifício?
Tem que valer!
Eu não me sacrifiquei todos esses anos pra nada, eu não nadei tanto pra morrer na praia, eu não vou me declarar vencida, não vou desistir. Sei que o preço é alto, que Deus me proteja e me perdoe. Que Ele me perdoe por amar uma "doença".
Mas já faz parte de mim. Ela sou eu. Cuide da minha alma Senhor, não me permita perder a fé. O meu corpo está padecendo.

-

terça-feira, 16 de junho de 2009

It's alright, it's okay

Deitada na grama, o céu empoeirado de estrelas. Passei o dedo e - curioso - algumas vieram grudadas na ponta. Olhei para cima e assoprei. Foi tanta estrela caindo que agora eu mal consigo enxergar de tanta esperança.


Eu tô mais gorda a cada dia, tô bem gorda!, e mesmo assim eu estou contente.
Consegui ir bem nas minhas provas, estou de férias da faculdade! (Obrigada, meu Deus!)
E eu acredito que vai se inciar uma nova fase na minha vida. Vou prestar vestibular em uma faculdade estadual, eu sei que vou passar. Vou estudar numa faculdade nova, vou fazer um curso que eu gosto e o melhor: no período da tarde! Vou me dedicar completamente a isso e fiz também uma promessa: Se eu passar mesmo, vou virar acólita na igreja. (É tipo coroinha, mas coroinha é só pra criança, adulto é acólito *-*)
Vou me confessar essa sexta, pretendo dar um rumo diferente na minha vida. Eu não sei qual é a crença de vocês, não sei se vocês têm alguma religião, mas eu falo por experiência própria; não se afastem de Deus!
Eu vi a minha vida se degradar, eu vi os meus planos desmoronarem, os meus sonhos se dissiparem... Eu não sou nada sem Deus presente na minha vida.
Gostaria de pedir pra vocês pensarem um pouquinho sobre isso. Qual é o espaço que Deus tem na vida de vocês? É tão fácil reclamar da vida... Mas nós vivemos obcecadas demais com os nossos próprios problemas e não damos o espaço pra Deus agir nas nossas vidas...
Só gostaria que vocês tentassem, se puderem. E quem discorda, quem não acredita... etc., eu só peço que respeitem (;
Tô fazendo a Serena, eu sei hausha (http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?rl=cpn&cmm=64176889) mas faz parte.





Recebi o selinho da Andie *-* [http://ossosdeanjo.blogspot.com/]
Thaaanks! *___*
Hora de repassá-lo! Para:


Menino
Hell W. (que já fez, que eu vi :p)
Audrey
Dreamer
Fer



Eis as regras da brincadeira:
.
1 – Dizer quem te passou o selinho e colocar o link para o blog dela
2 – Copiar as perguntinhas no blog de quem te indicou e substituir as respostas dela pelas suas.
3 – Escolher 5 pessoas para passar o selinho
4 – Avisar no blog das nossas convidadas sobre o selinho

“A dona desse blog é uma fofa!”
.
Eis então, as perguntinhas:
.
Mania: espelho, mecher no cabelo, ver datas de aniversário em placas de carro, pular riscas no chão, etc., etc., etc..
Pecado Capital: Vaidade.
Melhor cheiro do mundo: Chuva.
Se dinheiro não fosse problema, eu faria: Viajens, viajens e mais viajens. E compras, compras e mais compras. Viveria assim. Ah, e ajudaria quem precisa, eu salvaria o mundo! *-* hauhsa
Casos da infância: Eu era "O" Capeta! :D inteligente, chorona (isso não mudou nada)
Habilidade como dona de casa: Preciso descobrir Oo' só arrumo o meu quarto, disso eu gosto (:
"Desabilidade" como dona de casa: Lavar, passar, cozinhar, limpar... Que mais?
O que não gosta de fazer em casa: Qualquer tipo de tarefa doméstica --'
Frase: I still believe
Passeio para a alma: Depende do meu humor.
Passeio para o corpo: Idem.
O que me irrita: Gente burra e mal educada.
Frase ou expressão que falo muito: Eca!
Palavrão de escolha: Não falo muito, juro! Bom, mas nesse caso seria "puta" hausha
Desce do salto e sobe o morro quando: Nem sei, é raro...
Perfume que usa no momento: Fantasy, da Britney Spears.
Elogio favorito: "Emagrecer mais? Você já é tão magrinha!" (faz 56421451564 anos que eu não ouço isso)
Talento oculto: É tão oculto que nem eu sei D:
Não importa que seja moda, eu nunca usaria nem no meu enterro: Calça pantalona.
Eu sou extremamente: Extremista, sarcástica, temperamental, instável, dramática.


Aviso depois os indicados, vai dar 2h da manhã e eu tenho inglês às 8! :S
Desculpem!


Beijo;*


-

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Minha Amiga Wannabe

Vamos chamar a minha amiga de C.
Começando do começo, a nossa história começa na infância. Sim, nós somos amigas de infância. Ela é uma das poucas pessoas nesse mundo que eu posso chamar de amiga. Eu a adoro!
Nos conhecemos na igreja, ambas tivemos educação católica, nossos pais são amigos e etc.. Sempre fomos muito unidas, apesar de sermos completamente diferentes.
Éramos crinaças magrelas, ela mais do que eu. Ela era ginasta e fazia natação. Eu só fazia natação.
Crescemos bem com as nossas diferenças...
Meu corpo começou a mudar antes do dela (sou dois anos mais velha) e desde então eu tenho lutado contra ele. Desde então eu tenho demosntrado todo e qualquer tipo de rejeição a ele. Desde então eu comecei a contaminar todas as minhas amigas com a minha "paranóia".
Ela não foi a primeira. Uma outra amiga nossa, a B., começou a fazer regime antes dela e nós duas comentávamos orgulhosamente aos finais de semana quanto peso nós tínhamos perdido durante determinada semana. Essa minha amiga desistiu das dietas mais tarte quando ela começou a passar mal e ter muitas tonturas. E hoje nós nos vemos pouco, mas ela sempre me elogia se eu estou mais gordinha e me censura quando acha que eu estou magrela demais.
Por isso que eu digo: não é algo que nós escolhemos. Somos escolhidas. Essa minha outra amiga, a B., poderia estar como nós agora. Mas não era pra ser ela...
O fato é que a C. ficou sim gordinha. E eu acho que a culpa por ela ser uma wannabe não é dela, e sim, minha. Eu me sinto responsável.
Ela sempre esteve comigo quando todas nos arrumávamos pra sair e eu me queixava de como a roupa marcava o meu corpo, sempre me queixava do quanto estava gorda. Sempre zombava das meninas "gostosas" que se achavam maravilhosas quando elas não passavam de garotas com excesso de gordura... E tudo isso que vocês sabem bem.
A C. se achava "gostosa" e dizia que se sentia bem. Mais tarde, ela passou a dizer que gostava do corpo dela, exceto da barriga. Mais tarde, ela se achava gorda demais... E dia desses ela me mandou umas mensagens pelo celular.
Perguntou se eu conhecia uma certa marca de laxantes. Eu me fiz de desentendida e disse que não. Ela disse que estava tomando e que ajudava a emagrecer. Eu disse que essas porras de laxante não emagrecem e ela me disse que também estava fazendo dieta, que quase não comia e que fazia umas coisas mais... (vomitar, ou, tentar vomitar, suponho).
Eu fiquei com muita raiva! Nós já conversamos sobre isso... Minhas amigas meio que sabem da Ana e da Mia, mas elas deixam em off. Há uns dois ou três anos, a C. comentou comigo que sabia, que ela tinha percebido e me perguntou como eu fazia. Eu neguei e disse que ela era louca.
Em fevereiro desse ano, eu estava dando um sermão nela por causa do cigarro (sim, ela estava fumando) e ela disse que cada uma tinha o seu vício. Eu vomitava e ela fumava e eu fiquei quieta.
A questão é que eu comecei a rebater as mensagens dela. Disse que ela não iria emagrecer assim. Ela me perguntou se eu conhecia um outro jeito melhor além de não comer, tomar laxante e fazer "mais algumas coisas". Eu disse que sim e disse que depois conversávamos.
Não conversamos.
Ontem nós fomos a uma festa. Ela me disse:
- Vamos comer um bolo?
Eu disse que sim. Nós comemos. Eu já havia comido horrores! Minutos depois, quando eu pensei em levantar, ela disse que ia ao banheiro. (Droga, antes de mim!). Esperei um tempo, bastante tempo. Não a vi em lugar nenhum no salão. Fui ao banheiro. Miei, saí e estava arrumando meu cabelo quando ela saiu de um dos boxes.
Eu sorri e disse:
- Oi.
Ela sorriu e também disse "oi" pra mim.






-

domingo, 7 de junho de 2009

Se tem uma coisa que eu aprendi,

... é que não existem fofocas sem segredos. Tem que ser corajoso o suficiente para revelar seu segredo, apenas para ser usado contra você. Ou o segredo dos outros pode te afetar de maneiras inesperadas. Tem segredos que se fica feliz ao guardar fora da visão dos outros sendo enterrado mais fundo do que antes. Mas os segredos mais poderosos são as verdades que você achou que nunca seriam reveladas, que uma vez ditas, mudam tudo.



Nesse fim de semana, eu saí de novo, bebi muito de novo e acho que fiz a maior besteira que poderia ter feito.
Acho que eu falei alguma coisa sobre a Ana ou a Mia.
Não me lembro de nada, o que eu sei, é o que me contaram. Disseram que eu só ficava falando inglês, erguendo a roupa enquanto dançava. Minha irmã me impediu de subir no palco, e meu primo e ela me puxaram quando eu estava "dançando que nem vagabunda" (como eles disseram) no meio de um grupo de meninos lá na balada. Minha amiga esteve pior (a wannabe - falo sobre ela no próximo post). Ela tirou o vestido na rua, ficou só de meia calça fio 40 e sutiã, mostrando a bunda e os peitos.
Eu acabei passando mal, vomitei muito, sujei a minha blusa e meu cabelo. Passei muito mal mesmo, porque não tinha comido. Ou melhor, porque miei o que tinha comido. Disseram que eu fiquei trilouca, que fiz o maior escândalo, como sempre, mas que eu cortei a brisa de todo mundo quando comecei a passar mal.
Uma segurança ajudou a minha irmã a me tirar do banheiro. Eu continuava tendo ânsia, mas já não tinha mais nada pra vomitar. Os seguranças iam ligar pra Santa Casa, pra irem me buscar. Os meninos me deram água com açúcar, na rua, ao mesmo tempo que tentavam me esconder da Guarda Municipal.
Meu primo comprou um lanche pra mim, mas disseram que eu me recusei a comer, trinquei os dentes. Deve ter sido aí que eu disse alguma coisa.
Hoje eu não consegui almoçar, vomitei o café da manhã, não comi nada até a noite. Teve uma hora que me deu ânsia e eu disse que achava que ia vomitar. Meu primo me olhou assustado e disse: "não (e fez um gesto, colocando o dedo na garganta)". Eu disse: "claro que não", mas nem me toquei.
Antes de eu ir embora, ele falou pra mim que precisava falar comigo. Disse que é uma coisa séria, que não é brincadeira. Disse que depois a gente conversa, que minha irmã sabe e pediu pra que ela falasse comigo.
Não quero perguntar, estou com medo.
E se eu falei? E se eles souberem?
Por que eu fiz isso? Mas que ódio de mim!
Vou me fingir de morta, fingir que esqueci isso. Estou com muito medo, torçam por mim.

Amanhã e a semana inteira, LF de 400cal.

Cuidem-se.